Music Carregando ...
Boa Tarde Cidade — com Juninho
  • Boa Tarde Cidade — com Juninho

13:00 às 18:00

TERÇA-FEIRA
Quarta-Feira, 04 de Outubro de 2017
Líder de grupo terrorista ameaça destruir Israel em nova guerra
Hezbollah diz que conflito atrairia soldados de várias nações muçulmanas



Líder de grupo terrorista ameaça destruir Israel em nova guerra
O líder do grupo terrorista Hezbollah, com sede no Líbano, advertiu neste domingo (1) que todos os judeus que vivem em Israel devem sair do país o mais rápido possível. Ele ameaçou o estado Judeu com uma nova guerra em breve.

Sayyed Hassan Nasrallah fez um discurso inflamado para marcar o dia sagrado xiita de Ashura, onde criticou o governo do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu. Para o terrorista, Israel leva a região para uma guerra devastadora.

Dirigindo-se aos “judeus não sionistas”, Nasrallah clamou que “todos os que vieram para ocupar a Palestina saiam e voltem para as terras de onde vieram”. Em um jogo de palavras, disse que o conflito do Hezbollah não é contra o povo judeu, mas contra o governo sionista de Israel.

Na avaliação do líder do Hezbollah, “o governo de Netanyahu está levando seu povo a devastação e destruição na esteira da guerra na Síria e no Líbano”.

Ultimamente, o Hezbollah vem reforçando seu arsenal com armamento doado pelo Irã e estabeleceu bases no sul do Líbano e também da Síria. Segundo eles, o exército de Israel não avaliou corretamente o poder militar do Hezbollah.

Nasrallah disse no início do ano que a futura guerra contra Israel poderia atrair milhares de soldados de países como Líbano, Irã, Iraque, Afeganistão, Iêmen e Paquistão, podendo ocorrer dentro de Israel, numa referência ao território disputado das Colinas de Golã.

Armados pelo Irã

O último conflito armado em grande escala dos israelenses contra o Hezbollah foi durante a Segunda Guerra do Líbano, em 2006. Desde então as tensões permaneceram altas, com ameaças de parte a parte.

Acredita-se que o Hezbollah tenha um arsenal entre 100.000 e 150.000 mísseis de curto, médio e longo alcance e uma força de combate com 50.000 soldados, incluindo reservistas.

Um dos comandantes do Hezbollah disse no mês passado que o grupo tem mais de 10 mil soldados no sul da Síria, prontos para enfrentar Israel. Por sua vez, o governo de Netanyahu vem denunciando ao mundo que o Irã poderá se lançar em uma guerra contra o Estado judeu assim que o conflito na Síria acabar.

Netanyahu disse em agosto que o Irã estava construindo locais para produzir mísseis guiados de precisão na Síria e no Líbano, com o objetivo de usá-los contra Israel.

Nos últimos meses, o primeiro-ministro tentou negociar com os presidentes dos Estados Unidos e da Rússia o estabelecimento de uma “área livre de Irã” ao redor da fronteira, mas sem sucesso.

No início deste mês, dezenas de milhares de soldados israelenses participaram da maior operação militar desde 1998, simulando uma guerra com o Hezbollah por 10 dias.
Fonte: Gospel Prime



MÍDIAS VÍDEO